Exercício em Jejum: Todo mundo pode fazer?

O treino em jejum , o aeróbio jejum é algo positivo? Como não existe uma resposta para todas as pessoas novamente eu vou ter que explicar para vocês um pouquinho desse mecanismo e aí vocês vão entender para quem que isso se ajusta para quem é que isso serve. Biologicamente serviria para todos.

Por quê? Porque biologicamente nós somos programados para produzir energia através dos nossos próprios esforços, até porque você imagine que a gente não acordaria pela manhã e já teria um alimento, porque a gente não tinha nem geladeira do passado. Para conseguir esse alimento ou eu teria que cassar, colher ou pescar, seja lá o que for e para prepará-lo eu precisaria de energia.

Essa energia viria de um processo nosso e nós viemos dotados pra executar. É de produzir energia as custas da nossa própria gordura e as custas também daquilo que a gente respira. Ou seja, biologicamente todos os seres vivos teriam esse mecanismo suficiente para gerar energia em jejum e para fazer uma atividade em jejum. Existem pessoas que se adaptam tão bem a isso que conseguem inclusive realizar atividades físicas mais intensas, mesmo em jejum isso é uma questão de adaptação.

Iniciar atividades em jejum

Então, se você está querendo iniciar essa prática o ideal primeiramente é ter o acompanhamento ou avaliação de uma equipe multidisciplinar ou então profissionais que compreendam sobre fisiologia sobre o metabolismo verdadeiramente não só sobre doenças. Segundo você pode iniciar de leve ninguém inicia fazendo tudo que dá. Nos iniciamos de leve acordando fazendo um exercício leve jejum e percebendo os benefícios e como você está se sentindo.

Se você quer se aprofundar nisso aumentar a carga dos seus treinamentos no jejum e lembrando que jejum o café não corta, mas qualquer outro tipo de alimento corta, mesmo o limão pela manhã já não torna mais esse exercícios em jejum intermitente.

Chás e cafés não cortariam os processos do jejum. Mas se você quer se aprofundar e começar a treinar com mais intensidade aí o ideal seria o acompanhamento, porque qual seria o risco para alguém que não tem uma boa qualidade de vida? O risco de doenças é óbvio ou seja de se sentir mal, de ter um desmaio, é um risco muito diminuído mas pode acontecer. Se você não está adaptado na vida tudo questão de hábito e adaptação no nosso corpo.

O nosso corpo se adapta com ruim e com bom. Segundo ponto importante, um acompanhamento para identificar se em sua composição física você está conseguindo através desse método e se alimentando corretamente manter o tecido que a gente quer manter. E o que a gente quer manter? O tecido muscular.

Esse tecido muscular nós consideramos hoje uma grande glândula endócrina produz diversos fatores que beneficiam todo o nosso corpo. Então esse acompanhamento se torna bem importante. Se eu estou praticando o exercício em jejum e estou perdendo músculos, provavelmente o meu metabolismo não tá legal e aí não vai se ajustar para mim, precisamos realizar alguns ajustes.

Se você está sendo acompanhado e isso a balança não diz, se eu perco peso não quer dizer que eu tô perdendo gordura que é o que nos interessa, mesmo para quem não quer emagrecer perder músculo é ruim, o músculo é muito pesado, às vezes grandes perdas ponderais de peso pode significar perda de músculo. Então um bom acompanhamento para identificar qual o tecido está sendo perdido, se é que eu estou perdendo algum tecido porque eu posso beneficiar o meu sistemas sem nem perder, sem nem mexer no meu peso.

Também é crucial caso a pessoa esteja de fato mobilizando gordura ou nada porque o benefício é igual ou se a pessoa está perdendo músculo os casos vão ser conduzidos diferentemente e individualmente. Então o exercício em jejum é pra ser benéfico para todos, depende da intensidade das adaptações, de criar esse hábito e do resto do dia ou seja da condição que a pessoa vai prover para o corpo, pra que ela consiga executar essa função biológica da maneira adequada.

Para muitas pessoas o jejum intermitente funciona e os resultados são ótimos comparados a outras técnicas de emagrecimento.

One Response

  1. Eu de TPM 17 de outubro de 2018

Deixe uma Resposta